quinta-feira, 2 de outubro de 2008

O CRIME É EXATAMENTE O MESMO


Sabedoria médica...


Uma mulher chega apavorada no consultório de seu
ginecologista e diz:
- Doutor, o sr. terá de me ajudar num problema muito
sério. Este meu bebê ainda não completou um ano e estou
grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço
de tempo, mas num espaço grande entre um e outro...
E então o médico perguntou : Muito bem. E o que a
senhora quer que eu faça?
A mulher respondeu : Desejo interromper esta gravidez
e conto com a sua ajuda.
O médico então pensou um pouco e depois do seu
silêncio disse para a mulher : Acho que tenho um método
melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para
a senhora.
A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria
seu pedido.
E então ele completou : Veja bem, minha senhora, para
não ter de ficar com os dois bebês de uma vez, em tão
curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus
braços. Assim, a senhora poderá descansar para ter o
outro, terá um período de descanso até o outro nascer.
Se vamos matar, não há diferença entre um e outro. Até
porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é
mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco...
A mulher apavorou-se e disse : Não doutor! Que horror
! Matar um criança é um crime!.
Também acho minha senhora, mas me pareceu tão
convencida disso, que por um momento pensei em ajudá-la. O
médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que
a sua lição surtira efeito.
Convenceu a mãe que não há menor diferença entre
matar a criança que nasceu e matar uma ainda por nascer,
mas já viva no seio materno.
O CRIME É EXATAMENTE O MESMO!!!!!

TEXTO RECEBIDO POR UMA AMIGA (SILVINHA)

11 comentários:

Georgia disse...

Minha irma, essa estória é fantástica. Serve mesmo como um exemplo, pois na cabeca de muita gente pode-se abortar um bebê, mas nao pensam que podem matar uma crianca maior. Qdo estava grávida da Viviane o médico queria muito que eu fizesse um exame especial tirando o líquido da bolsa onde ela estava para saber se ela nasceria com alguma deficiência. Pos causa da minha idade. Minha resposta foi nao. e ele quis saber o porque da minha recusa. Respondi a ele que teria o bebê de qualquer maneira sendo deficiente ou nao. E se fosse deficiente eu só iria querer saber na hora do parto, pois até lá nao esquentaria a minha cabeca. Imagina se faco o exame, se dá que ela nasceria deficiente e depois como muitas vezes a contece nao é nada disso. Como iria ficar minha cabeca? Nao, curti e muito minha gravidez e ela nasceu perfeitinha para a Glória de Deus e nossa alegria.

Bom fim de semana

Grande beio te amo.

Paz disse...

Happy Ecological Day!

Paz

Adelino disse...

Adriana, muito bonito o depoimento de Georgia.

No tocante à história que relatou como exemplo, acho que deveria haver maior conscientização das mulheres incluindo - e principalmente - as jovenzinhas que não pensam muito nas consequencias de seus atos. E isto é muito comum.
Um abraço. Feliz sexta-feira.

Mário disse...

Que bela lição, heim?! Vou guardar na memória. Bom findi.

Sonia H. disse...

Oi Adriana, tudo bem?
Que texto!
Concordo plenamente.
Bom fim-de-semana!
Beijos,

Abraham Lincoln disse...

I wish I could read your blog. The photos are nice.

Eu, sem clone disse...

Belo relato. Parece aquele da Bíblia das duas mães que disputavam o filho.

Peço desculpas por minha ausência.
Tenho andado muito preocupada com coisas que adiei ou com pessoas que querem emperrar meus projetos. Estou tentando resolver.
Desejo um ótimo domingo e que Deus ilumine o povo brasileiro que escolhe hoje nossos representantes municipais.
Bjks

Eduardo P L disse...

Interessante a RESPOSTA do médico. Ele tem razão!

O Profeta disse...

Atravesso o céu em sonhos
Três aves do mar, três raios de sol, três punhais
Seguem-me apontados à solidão
Ah este vento que sopra nos brandais


Vem partilhar comigo uma história real



Mágico beijo

Gaspar de Jesus disse...

Adriana
Gostei muito desse texto, e também da vivência de sua irmã? Georgia.
É certo e sabido que as crianças são o melhor que a vida tem...!!! porque razão há-de haver quem as queira MATAR...???
Neste nosso POBRE Portugal, e no que diz respeito à saúde, faltam-nos imensas coisas, mas levaram a população a votos sobre o Aborto, e desgraçadamente o SIM ganhou. Agora os "centros de abate" proliféram, com tudo pago com o dinheiro dos nossos impostos.
Devem ter ficado muito felizes alguns dos jovens de hoje, que agora já têm resolução para os seus problemas, e ficaram tristes as empresas de fabrico e venda de preservativos, que tiveram uma baixa brutal nas vendas.
E assim vamos nós "cantando e rindo" como diz o povinho.
Cordialmente
Gaspar de Jesus

elvira carvalho disse...

É muito importante que as pessoas se capacitem disso. Nunca fiz nenhum aborto. Bem pelo contrário levei mais de dez anos fazendo tratamentos para a infertilidade.
Um abraço e bom Domingo