quinta-feira, 27 de novembro de 2008

POESIA DE UM ALUNO DA APAE


Poesia de um aluno da APAE!



Refletir é importante!!!



Esse poema foi escrito por um aluno da APAE, chamado pela sociedade de
excepcional.
Excepcional é a sua sensibilidade!!!!!
Ele tem 28 anos, com idade mental de 15.


Ilusões do Amanhã

'Por que eu vivo procurando um motivo de viver,
Se a vida às vezes parece de mim esquecer?
Procuro em todas, mas todas não são você.
Eu quero apenas viver, se não for para mim que seja pra você.
Mas às vezes você parece me ignorar, sem nem ao menos me olhar,
Me machucando pra valer.
Atrás dos meus sonhos eu vou correr.
Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder.
Se a vida dá presente pra cada um,o meu, cadê?
Será que esse mundo tem jeito?
Esse mundo cheio de preconceito.
Quando estou só, preso na minha solidão,
Juntando pedaços de mim que caíam ao chão,
Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou.
Talvez eu seja um tolo,
Que acredita num sonho.
Na procura de te esquecer,
Eu fiz brotar a flor.
Para carregar junto ao peito,
E crer que esse mundo ainda tem jeito.
E como príncipe sonhador...
Sou um tolo que acredita, ainda, no amor.'

PRÍNCIPE POETA (Alexandre Lemos - APAE)


Nota:
Peço que divulguem para prestigiá-lo.
Se uma pessoa que encontra as barreiras que ele encontra, acredita
tanto no amor, por que a maioria das que se dizem 'normais' procuram,
ao contrário, negar sua existência?


Eu felizmente ainda acredito nas pessoas e num mundo melhor!!!!!!!

RECEBI POR E-MAIL!

12 comentários:

Georgia disse...

Muito lindo o poema. E é uma pena que o mundo vive ainda tantos preconceitos...

Beijao minha irma, te amo.

Adelino disse...

Que bom você de volta, Adriana. Depois volto com mais calma para comentar. Feliz final de semana.

Sonia H. disse...

oi, Adriana,

Lindo! Que lição este rapaz nos dá!
Palavras sábias.
Beijos,

Georgia disse...

Oi minha irma, vc está sabendo dessa blogagem? Fiz um convite no meu blog, mas vc poderá confirmar se deseja participar no link abaixo.

Blogagem Coletiva Direitos Humanos 2008 II (Aval das Nações Unidas)

Maiores informacoes aqui:

http://fenixadeternum.blogspot.com/2008/11/direitos-humanos.html

Um abraco e boa noite

Susi disse...

Sensibilidade não tem idade.
Lindo poema! beijo

Adelino disse...

Adriana, muito bonita a sua postagem de hoje. Se todos os pais que assim como nós tivemos a grande graça de ter gerado filhos sem necessidades especiais um dia visitássemos essas entidades de assistência e apoio, teríamos uma outra visão da vida. Reclamaríamos menos de coisas banais, seríamos um pouco mais tolerantes, daríamos mais atenção aos nossos filhos, enfim, daríamos muitas graças a Deus. E também seríamos mais solidários.
Um beijo. Feliz final de semana.

Carla Silva e Cunha disse...

beijos

carla

www.arte-e-ponto.blogspot.com

Só- Poesias e outros itens disse...

Lindo poema, sentimentos de indignação e angústia, que poucos sentem

bjs.

JU Gioli

Simone disse...

Oi Dri,
que ótimo post, lindo poema.FELIZ NATAL E PROSPERO ANO NOVO.BJS.Simone

Adelino disse...

Adriana, sumiu por quê? Por que sumiu?
Um beijo. FELIZ ANO NOVO!

Beth/Lilás disse...

Adriana!
Um lindo e feliz dia para você!
Meus parabéns e que vc tenha muitos e muitos anos de vida e felicidade junto aos seus.
Feliz Aniversário!
beijos cariocas

Lucy Lordelo disse...

Lindoooooooooooo.
Q sensibilidade!!!
D+++.
Passando por aqui pra desejar um Feliz Aniversário e q Deus inunde sua vida de bênçãos. Um beijão.
P.S. Estou vindo do blog da Georgia.